Filosofia com Cinema para Crianças (FcCpC)

Filosofia com Cinema para Crianças EB1 S. Gonçalo

Introdução

DSC_0220

A turma SG1A do 1º ano, do 1º ciclo, da professora Arminda Jerónimo da Escola EB1 de S. Gonçalo, integrará um projeto pioneiro designado “Filosofia com Cinema para Crianças” da autoria e responsabilidade da professora Elsa Cerqueira*.
A “Filosofia com Cinema para Crianças” tem como finalidade primacial potenciar uma formação que inclua o questionamento filosófico a partir da “imagem animada”, ou seja, o Cinema.
A sua premissa radica no pressuposto de que as crianças não são espetadores passivos, meros recetáculos de informação, paradigma predominante no modelo de ensino psitacista, mas seres ativos no desenvolvimento das suas competências ou habilidades cognitivas, afetivas e conativas.
As crianças são, por natureza seres questionadores, filósofos em potência, e só uma pedagogia criativa que eduque e estimule simultaneamente a visão, o olhar, – ou não vivêssemos numa sociedade cujo paradigma é a linguagem audiovisual – e as habilidades inerentes ao pensar é que poderá estimular o desenvolvimento de cidadãos críticos e interventivos.
Deste modo, a narrativa literária de Matthew Lipman – fundador do curso de Filosofia para Crianças nos Estados Unidos – , cede lugar à narrativa fílmica.
Entre o real e a ficção, entre a “verdade” e a “mentira”, há nas imagens espaços geográficos, mentais, cromáticos, visuais, sonoros, que convocam desde a infância a curiosidade e o espanto filosóficos.
A aula é concebida como uma comunidade de investigação e o professor um potenciador de interrogações filosóficas. E dos “filósofos de palmo e meio” espera-se que desabrochem inúmeros “porquês” sobre o eu, a amizade, o outro, o belo, a felicidade, a doença, etc.
O projeto, alicerçado em “imagens cinematográficas”, embora se centre no cinema de animação, terá em conta outros géneros fílmicos, constituindo-se como percursor em Portugal porque articulará duas áreas que estão no âmago do ser humano, a Filosofia e o Cinema, valorizando a educação de olhar e de um pensamento crescentemente autónomos.

1. Objetivos

-Desenvolver a autonomia do pensamento.
– Desenvolver capacidades mentais, como perguntas filosóficas, a partir da visualização de curtas metragens, sobretudo de animação, ou de fragmentos filmicos.
– Promover as competências de diálogo, respeito, tolerância através da criação de uma pequena comunidade de investigação.
– Enfatizar o professor enquanto mediador, numa comunidade investigativa e dialógica, que potencia o questionamento e a reflexão da criança em face ao mundo, aos outros e a si própria.
– Educar para valores universais.

2. (Alguns) Conteúdos/(Alguma) Filmografia
[Em reconstrução]

Nos objetivos

– Eu e os outros: a Amizade, o Amor, a Felicidade e o seu reverso: a Inimizade, a violência e o ódio.
– A liberdade e o livre-arbítrio: o Bem e o mal.
– O Tempo: o Envelhecimento, a Morte.
– O Corpo: a diferença e a doença.
– Animais humanos e animais não humanos.
– Duvidar e saber: a verdade e a mentira.
– A Arte e o sentido da vida.

Animando0002

Animando, Marcos Magalhães, Brasil, 1982, 14’34’’
História Trágica com final Feliz, Regina Pessoa, Portugal, 2005, 8’
A Maior flor do Mundo, Juan Pablo Etcheverry, Espanha, 2006, 9’46’’
El Empleo, Santiago Bou Grasso, Argentina, 2008, 7′
Kali, O Pequeno Vampiro, Regina Pessoa,Portugal, 2012, 9’20’’
Surpresa, Paulo Patrício, Portugal, 2016, 8’40’’
Pronto, era assim, Joana Nogueira, Patrícia Rodrigues, Portugal, 2016,13’

paulo-patricio-surpresa-23 (1)

3. (Alguma) Bibliografia

Cerqueira, Elsa, O olhar fílmico na construção do pensamento dos alunos. As Artes na Educação, Intervenção, Chaves, 2014.
Freitas, Anselmo ,Filosofia para crianças. Algumas reflexões, métodos e ideias. Edições APEFP.2017.
Gaio, António (Org.), História do cinema Português de Animação. Contributos. Nascente.Porto 2001.
Gardies, René (Org.). Compreender o Cinema e as Imagens, Lisboa, Edições Texto & Grafia, 2008.
Grilo, João Mário, As lições do Cinema. Manual de Filmologia, Edições Colibri/Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, 2007.
Lenoir, Frédéric, Filosofiar e Meditar com as Crianças. Lisboa, Arena. 2017.
Lopes, Mariana, Saque Cibele, O mistério do quarto escuro, a história do cinema contada às crianças, Cine-Clube de Avanca 2016.

2_historia-tragica

4. Duração: 1 hora semanal. Todas as quintas-feiras das 11 às 12 horas.

_____________________

*Sobre a Autora do Projeto

Elsa Cerqueira

Licenciada em Filosofia. Mestre em Filosofia da Educação e Pós-graduada em Filosofia Moderna e Contemporânea.
Oradora em vários Congressos sobre Filosofia, Literatura e Cinema e Festivais de Cinema. É professora de Filosofia, coordenadora do Plano Nacional de Cinema da Escola Secundária de Amarante e vice-Presidente do Cineclube de Amarante.
Integrou o júri Cineclubes, Prémio “PrimeirOlhar”, (Encontros de Cinema de Viana, 2016), Fafe Film Fest (2014-2017), o júri de pré-seleção do Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho, Cinanima (2017), e o júri do Festival Vídeo Escolar (Encontros de Cinema de Viana, 2018).
Colabora com o FLIP, Mostra de Cinema de Animação de Amarante promovido pela associação Gatilho.
Publicou artigos em revistas especializadas quer sobre o cinema de Luis Buñuel, de João César Monteiro e de Pedro Costa, quer sobre a relação entre a escola e o cinema.
É membro da AIM (Associação de Investigadores da Imagem em Movimento) e da Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática (APEFP) e formadora acreditada do curso “Filosofia com Cinema para Crianças e Jovens: Didática para Educadores e Professores”.
Realizou, em agosto de 2017, uma formação em França, designada “A Cannes, faites votre cinéma dans la classe”, no âmbito do programa Erasmus +.
Criou o blogue PolegarMente.me que deu origem ao “pncpolegarmente.me ou Notas sobre o Plano Nacional de Cinema pelo lápis de Elsa Cerqueira” .

_______________

Nota Marginal Um: Este é um projeto apaixonante e à medida que está a ser implementado, os conteúdos, a filmografia, as estratégias, as “brincadeiras “sérias”, estão a ser revistos e aprofundados. Um projeto enclausurado e fechado à mudança seria autocontraditório e um mau projeto. Adoro estes miúdos e esta escolinha!

Nota Marginal Dois: Um desmesurado agradecimento aos realizadores que, autorizando a exibição das suas curtas, tornaram possível este projeto.

_______________

Comments are closed.